Foi divulgado no passado dia 9 de dezembro de 2019 o relatório do Índice de Desenvolvimento Humano para 2018, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O índice compara os resultados de 189 estados e territórios por todo o globo. O Brasil melhorou seu resultado de forma ligeira, mas acabou caindo uma posição na tabela. Agora ocupa o 79º lugar na classificação.

O que é o IDH?

O Índice de Desenvolvimento Humano é um estudo divulgado anualmente desde 1990. Ele pretende analisar as condições reais de desenvolvimento em um país. Elaborado pelas Nações Unidas, o IDH tem a intenção de ser um índice mais aberto que o PIB (Produto Interno Bruto), que leva em conta apenas o crescimento econômico tal como é medido de forma oficial pelos estados e pelas respectivas autoridades governamentais (Fazenda, etc.).

O IDH não deve ser confundido com a Felicidade Interna Bruta, conceito lançado na arena internacional pelo Butão e que pretendia também ser uma resposta ao uso do PIB como referência de comparação entre países. Sendo tão técnico, matemático e estatístico como o PIB, o IDH considera a saúde, a literacia e o padrão de vida, medido através do poder de compra da população. Os dados são coletados pela própria ONU e pelo Banco Mundial.

Brasil estagnado

O IDH mede o desenvolvimento numa escala entre 0 (o mais baixo) e 1 (o mais alto), usando milésimos. O Brasil melhorou bastante desde 1990, tendo começado com 0,613 até os atuais 0,761. É uma subida de quase 25% no desenvolvimento humano da sociedade brasileira.

Entretanto, os efeitos da crise estão ainda sendo sentidos. Outros países progrediram um pouco mais e, apesar da subida em 0,001 desde 2017, o país perdeu uma posição. A desigualdade social é apontada como a principal razão que impede uma subida mais forte na tabela.