Segundo um artigo do IGN, as gigantes do setor informático (Nintendo, Microsoft e Sony) começarão a apertar as regras para a disponibilização de loot boxes em seus consoles. Será feita uma exigência às desenvolvedoras de videogames.

A polêmica das loot boxes

As loot boxes são um modelo de negócio presente em grande parte dos videogames da atualidade, facilitando sua distribuição gratuita através de uma outra forma de monetização. Os jogadores são convidados a sacar itens extra (armas, fatos, carros, times, etc.), de forma aleatória, a troco de um pequeno pagamento. Mas nem sempre têm sorte, e na maior parte dos casos o azar determina que o pagamento foi a troco de nada.

Essa forma de conseguir receita vem sendo comparada com um jogo de caça-níquel, como os que se encontram no Lucky nugget; só que, ao contrário do cassino online que, oferece prêmios algumas vezes até vultuosos e é destinado a maiores de idade, as desenvolvedoras apontam a jovens e adolescentes.

A polêmica dura há pelo menos dois anos, quando o governo da Bélgica alertou para o problema, criando uma reação internacional das autoridades políticas e de jogos.

Empresas de informática do lado do consumidor

As desenvolvedoras de videogames vêm lutando, de forma aberta ou dissimulada, por seus direitos e contra a possibilidade de regulação. Algumas cedem à pressão do público que exige a retirada deste mecanismo de monetização dos jogos, outras nem tanto. Agora, parece que as fornecedoras de consoles perceberam que podem compensar estar do lado dos defensores do consumidor, que estão representando a opinião pública internacional.

Assim, os jogos novos e os updates de jogos existentes teriam de apresentar, de forma bem detalhada e clara, a probabilidade que os jogadores terão de conseguir um determinado prêmio ou item. A Ubisoft, a Blizzar e a EA já se teriam comprometido com a nova regra, mas, à data de redação deste artigo, ainda não havia informações de muitas outras.